Como escolher a sua Previdência Privada – Parte 1

Growth, business, money.

Esta é uma serie de 3 artigos de um amigo pessoal e parceiro do Meu Dinheiro, Thiago Schmitd, esperamos que gostem pois o conteúdo é realmente muito bacana e importante.

Muitos devem estar passando por esse momento de se perguntar se devem ou não fazer uma previdência privada, ou até mesmo mudar os planos que já possuem em sua previdência privada, ainda mais agora que estão prestes a votar a alteração das regras da previdência pública.

De fato este, é um bom momento para se pensar nisso, o mercado de previdência privada no Brasil está mudando e está deixando de ser apenas um complemento da sua aposentadoria, para de fato se tornar um dos principais mercados de investimentos do país.

Vamos dividir nosso texto sobre a previdência privada aberta em três partes, a primeira, explicar a diferença entre a publica e a privada, quais suas vantagens e desvantagens. A segunda parte, iremos descrever as características dos planos, a previdência apesar de funcionar como um fundo de investimentos, tem suas regras próprias e muitas implicações dependendo do tipo de plano que você escolhe, podendo impactar significativamente no seu futuro e por fim, na terceira parte iremos falar sobre como escolher o melhor fundo para você, baseado no seu perfil de risco e momento de vida.

Neste artigo não irei abordar fundos de previdência fechada, aqueles feitos pela empresa, pois além das regras tradicionais, eles possuem suas próprias regras.

Previdência Social – INSS

Nos últimos meses, estamos vendo uma enxurrada de informações sobre as alterações das regras de aposentadoria do INSS e como isso vai ser bom ou ruim, acredito que independente da escolha dos nossos representantes políticos, nosso foco aqui é definir se é vantagem ou não contribuir para o INSS e se, quais o benefícios da previdência privada. Quem é empregado na CLT é obrigado, mas e quem, não é? Já adiantando, para mim, é uma vantagem contribuir. Porque? Apesar de remunerar pouco, em caso de invalidez por acidente ou qualquer outra causa que não possibilite você voltar para o trabalho, é o único meio que te possibilita ter um salário até sua morte, existem algumas regras a serem seguidas, mas neste caso estamos falando de o indivíduo ficar impossibilitado permanentemente.

Muitos podem discordar, que você pode ter um seguro de invalidez, porém se deve atender a uma série de requisitos para que o benefício vitalício seja concedido e ainda deve constar no seu plano esta opção. No INSS, apenas a contribuição mínima, já garante esse benéfico. Fora outros, como auxílio-doença, salário maternidade, pensão por morte e auxilio reclusão, cada um com suas regras.

Após essa breve explicação sobre a única vantagem do INSS, vamos ao foco do nosso artigo.

Previdência Privada

Na previdência privada, fica o dilema, já contribuo para o INSS, porque devo contribuir para uma previdência privada e quais as suas vantagens? Bem, conforme estamos vendo no noticiário, as regras do INSS estão para mudar, e no futuro, podem mudar novamente, então ter uma reserva particular é interessante para se proteger das oscilações dessas regras.

Mas quais as vantagens da previdência privada? Muitos gerentes, agentes autônomos de investimentos, seguradoras, vão focar que o INSS está quebrado e que você não irá se aposentar, para “vender” um plano de previdência, de fato isso é uma meia verdade, ficará mais difícil se aposentar pelo INSS, então justifica nós nos prepararmos com antecedência.

E diante disto, temos várias possibilidades, formar uma reserva em poupança, fundos de investimentos, imóveis para aluguel e por aí vai, porém conforme falado, esse mercado está crescendo e os planos de previdência foram criados para suprir esta demanda, de se ter uma reserva para a aposentadoria.

A principal vantagem para mim, é que este dinheiro é seu e você pode utilizá-lo como quiser e quando precisar.

Sobre as vantagens dos planos nós temos 5 principais:

– Permite conversão do fundo renda vitalícia mensal, você pode no momento de sua aposentadoria escolher receber mensalmente um “salário”, como acontece no INSS, qual a desvantagem? Caso, você venha a falecer, seu dinheiro fica com a seguradora e não é transmitido para seus herdeiros. Tem a opção de que este benefício seja transferido para os herdeiros, porém dependendo dos valores, não é vantagem.

– Serve como sucessão patrimonial, em caso de morte, os beneficiários nomeados, recebem o valor do patrimônio investido, sem impostos de ITCMD, o imposto apenas incide sobre os rendimentos do investimento, como qualquer outro.

– Não possuem come-cotas. Nos fundos de investimentos, nos meses de maio e novembro, existe um recolhimento de Imposto de Renda determinado em lei, isso faz com que o valor da cota, diminua, porém, o impacto nos juros sobre juros, é significativo, já na previdência isso não ocorre.

– Permite a aplicação automática, para muitos que não possuem disciplina, isso é uma forma de continuar reinvestindo.

– Permite a mudança de fundo sem incidência de IR (será detalhado na parte 3).

Desvantagens:

Para mim a principal desvantagem é a escolha errada de um plano, se seu objetivo for para aposentadoria (aplicação de longo prazo).

Entender bem seus objetivos e buscar conhecimento e ajuda profissional é essencial na definição de qual tipo de investimento escolher.

No próximo artigo será abordado as características da previdência privada e como isso pode influenciar no seu patrimônio!

Thiago Schmitd Villaschi – CPA 20
Entusiasta do mundo financeiro, Engenheiro e Pós-graduando em Finanças e Investimentos, consultor Financeiro.

11 Comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Current month ye@r day *

Adicione o email no-reply@blog.meudinheiroweb.com.br aos seus contatos para que as respostas cheguem em sua caixa de entrada